“Não poderia ter sido melhor”, diz Roger Federer sobre massacre contra Andy Murray

Após o massacre sobre Andy Murray, por 2 sets a 0, com direito a pneu (6/0 e 6/1), pela terceira rodada do Grupo B do ATP Finals, Roger Federer comemorou sua ótima atuação frente ao rival britânico, que lamentou tantos erros cometidos. 


Mesmo assim, o tenista da Escócia se rendeu ao jogo do suíço e admitiu que seria derrotado mesmo se tivesse feito uma grande partida.


“Consegui jogar nos meus termos. Para mim, as coisas correram muito bem e fui capaz de colocar Andy sob pressão muitas vezes. Acho que o jogo não poderia ter sido melhor para mim”, avaliou o segundo melhor do mundo, que conseguiu ser mais eficiente que Murray em uma das jogadas preferidas do escocês, os ralis mais longos. 


“Eu tinha a vantagem da linha de base, o que nem sempre aconteceu contra ele”, completou o suíço.


Federer explicou também que o fato de entrar em quadra já classificado – Kei Nishikori garantiu o suíço nas semifinais ao vencer David Ferrer mais cedo – o ajudou a brilhar em quadra.


“Claramente, estou muito feliz por ter feito uma boa partida hoje. Eu sabia que estava classificado talvez por isso eu fui um pouco mais relaxado”, concluiu o tenista da Basileia.


Do outro lado, Murray não escondeu a decepção por ter jogado um tênis aquém do que era esperado pela torcida britânica presente na O2 Arena, mas avaliou que dificilmente bateria Federer na noite da última quinta-feira.


“Não era o que eu esperava quando eu entrei em quadra, mas ele jogou excepcionalmente bem e tudo o que tentou esta noite, deu certo. Ele tem a capacidade de fazer isso”, avaliou o britânico.


“Posso dizer que estou decepcionado com o meu nível de hoje à noite, mas se eu jogasse bem, ele provavelmente ainda teria vencido de qualquer maneira”, completou Murray, que terá aproximadamente dois meses para treinar para a Copa Hopman, na primeira semana de janeiro.